Unsplashed background img 1

Projeto de Jovens Indígenas Nambikwaras realiza Festa Menina Moça

Published in Feb. 19, 2019, 8:59 a.m.

A Associação de Jovens Indígenas Nambiquaras (Ajina) realizou, entre os dias 29 e 31 de janeiro, a Festa Menina Moça do Povo Nambikwara, que ocorreu na Aldeia Khitaulu, localizada na Terra Indígena Nambikwara, município de Comodoro-MT.

A festividade faz parte das atividades do projeto “Jovens Indígenas Agroextrativistas e Protetores do Cerrado Matogrossense” apresentada pela Ajina e aprovado junto ao 2º edital do DGM Brasil.

Segundo o coordenador do projeto, Nelminson Khitaulu, “a Festa Menina Moça é uma tradição cultural secular do povo Nambikwara. O ritual é muito importante para as nossas meninas porque elas vão receber a proteção dos espíritos dos nossos ancestrais. Eles vão protegê-las de todo o mal”.

O ritual da Menina Moça simboliza a transição entre a infância e a chegada à vida adulta. O ritual acontece quando a menina índia tem a sua primeira menstruação, as quais permanecem em uma cabana construída de palha e caibros de juçareira, em formato circular, chamada “tamuio”. Na crença indígena, o tamuio simboliza o casulo onde a borboleta permanece até completar a sua formação para a vida adulta. Após ser submetida ao ritual, a garota está apta a namorar, casar, gerar filhos e executar todos as atividades das mulheres adultas da tribo.

A festa teve participação de cerca de 280 indígenas, entre crianças, jovens, mulheres e anciões, lideranças, caciques e pajés das aldeias Mutum, Barracão Queimado, Davi, Manduca, Duas Pontes, Khitaulu, localizadas na Terra Indígena do povo Nambikwara.

“O projeto visa fortalecer as atividades culturais dos povos indígenas Nambikwaras, garantindo sua valorização e preservação junto aos jovens”, acrescentou Vagner Meira Teixeira, assessor técnico do projeto.

O DGM Brasil (Mecanismo de Doação Dedicado) integra o Programa de Investimento Florestal (FIP). O objetivo é fortalecer a capacidade e apoiar iniciativas específicas dos Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais do bioma Cerrado. No Brasil, o projeto DGM Brasil é implementado pelo Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM).