Unsplashed background img 1

Produção e comercialização agroecológica

Published in March 18, 2020, 6:11 p.m.

Olhando pelo aspecto cultural folclórico mato-grossense, a Baixada Cuiabana é, sem dúvida, o berço das tradições que caracterizam o “ser mato-grossense”. As manifestações culturais como o Siriri, Cururu e Viola-de-Cocho se estabelecem de forma muito visível no contexto das comunidades, demonstrando sua forma de viver, modelo de produção e as relações harmoniosas com o meio ambiente, as quais garantem sua sobrevivência e permanência nesse território.

Porém, fenômenos como êxodo rural, principalmente das juventudes, comprometem a sucessão dos saberes e cultura. O avanço do agronegócio sobre o território restringe o acesso aos recursos naturais como a terra e a água, interferindo negativamente na subsistência, alimentação e geração de renda. Por outro lado, a prática do extrativismo ainda é pouco reconhecida em relação ao seu potencial.

Diante dessa realidade torna-se necessário, além de investimentos em infraestrutura, ações de caráter informativo, e de sensibilização para os benefícios que o extrativismo representa na vida das famílias e na preservação do bioma Cerrado.

Dessa maneira, a Associação dos Agricultores e Agricultoras Familiares das Comunidades Aguaçu, Monjolo e São Manoel do Pari (MT) propõe o projeto de fortalecimento da produção e comercialização agroecológica e agroextrativista da região da Morraria, no Mato Grosso, com o objetivo de construção de uma unidade de beneficiamento e capacitação das quatro comunidades que carregam consigo a história e cultura do povo mato-grossense, sobretudo da baixada cuiabana.

A organização da produção já existente e a potencialização do extrativismo poderão viabilizar uma alternativa de permanência no campo, geração de renda, produção de alimentos e proteção de espécies nativas da fauna e flora do Cerrado.

Resultados esperados: Capacitação de 40 pessoas para o desenvolvimento de atividades produtivas de uso sustentável dos recursos naturais do bioma Cerrado e da agricultura, contemplando a produção, beneficiamento e comercialização; Fortalecimento do acesso a novos mercados por meio da melhoria no processamento e transformação dos produtos e de sua certificação; Gestão e acompanhamento técnico do projeto.

Recurso e duração do projeto: O projeto tem recurso total orçado em R$ 119.999,96 e duração de 12 meses.