Unsplashed background img 1

Pelo Direito à Comunicação

Publicado em 24 de Abril de 2018 às 15:27

Quando a notícia parte de dentro do contexto das comunidades, dos grupos e movimentos sociais, com o intuito de conscientizar e mobilizar as pessoas envolvidas, fazendo com que essas se apropriem dos meios de comunicação para a defesa de seus próprios interesses e não daqueles veiculados pela grande mídia, é como se define a Comunicação Popular. É uma comunicação feita pelas e para as comunidades.

Nesse sentido, o fundo DGM Brasil, comprometido com a estratégia participativa de empoderamento dos povos indígenas, comunidades quilombolas e tradicionais do Cerrado, por meio de atividades de capacitação técnica e de fortalecimento institucional, contribuiu para a realização, no dia 05 de abril, de uma oficina de produção e edição de fotografia e vídeo junto a jovens geraizeiras e geraizeiros das comunidades envolvidas no subprojeto Água dos Gerais. A atividade aconteceu na comunidade de Catanduva, município de Vargem Grande do Rio Pardo, Minas Gerais, e contou com a parceria da Mídia Ninja, no âmbito do projeto Minas LAB.

“Na oficina entendi o quanto é importante o envolvimento e participação de jovens comunicadores nas organizações sociais, dando voz e vez à população e mostrando a realidade como ela é de fato. Comunicar é preciso! Os saberes e a luta do nosso povo precisam ser divulgados”, avaliou Elza da Cruz Nunes, de Rio Pardo de Minas.

Além de apresentar noções básicas de fotografia e vídeo, também foi possível entender como funcionam as coberturas em tempo real da Mídia Ninja em grandes atos e manifestações, com o uso de ferramentas de baixo custo. “Aprendemos como fotografar e filmar um ambiente calmo ou movimentado, pessoas, objetos, cartazes e faixas, o que deve ser enquadrado ou não, para que o material fique interessante, tudo com o uso do celular e de programas gratuitos de edição”, contou Graciene Ferreira de Oliveira, da comunidade de Pindaíba, município de Rio Pardo de Minas.

5ª Conferência Geraizeira

Em virtude da realização da 5ª Conferência Geraizeira, entre 06 e 08 de abril, na mesma comunidade, a ideia foi capacitar a juventude geraizeira, para que essa realizasse a cobertura em tempo real do evento, que contou com a participação de 57 comunidades geraizeiras e 577 participantes, vindos de 15 municípios da região do Alto Rio Pardo e Norte de Minas Gerais, além de lideranças da Articulação Rosalino Gomes de Povos e Comunidades Tradicionais e profissionais aliados de diferentes instituições da sociedade civil, de universidades e instituições de pesquisa.

“Uma vez que um dos objetivos estabelecidos no plano de comunicação do subprojeto Água dos Gerais é a produção de vídeos para divulgação das ações de restauração de recursos hídricos, vimos na realização da 5ª Conferência Geraizeira a oportunidade de capacitar um número considerável de jovens vindos dos municípios de Rio Pardo de Minas, Vargem Grande do Rio Pardo, Montezuma, entre outros, no norte do estado de Minas Gerais, os quais compõem a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras”, explicou o coordenador do DGM Brasil, Álvaro Carrara.  

Foram objetivos da Conferência: o compartilhamento de experiências, possibilitando espaços de troca e denúncias relacionadas a violações de direitos; a avaliação da situação atual das lutas por território e água; a promoção da reflexão sobre a importância das águas dos gerais (nascentes, córregos, rios e ribeirões); e a promoção de debates sobre propostas de regularização fundiária dos territórios, a partir do marco legal de povos e comunidades tradicionais.

As imagens e vídeos produzidos durante a 5ª Conferência Geraizeira podem ser acessados nas mídias sociais do DGM Brasil e da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras.

Juventude mobilizada

A oficina de Comunicação Popular promovida pelo DGM Brasil em Catanduva faz parte de uma série de ações realizadas em rede, junto a instituições parceiras, tais quais o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Projeto Bem Diverso e a Rede Sociotécnica no Alto Rio Pardo. A partir das capacitações em produção de conteúdo midiático independente, a juventude geraizeira iniciou, em 2017, o coletivo ComunicaGeraizeiros – Rede de Comunicadores e Comunicadoras Populares do Alto Rio Pardo, no intuito de compartilhar e divulgar as ações realizadas em seus territórios, bem como denunciar episódios de violação de direitos de povos e comunidades tradicionais.

“A oficina de comunicação durante a Conferência Geraizeira foi um momento muito importante para a juventude, pois proporcionou a troca de experiências com a Mídia Ninja, que pode conhecer a lutas das comunidades tradicionais por água e território”, ponderou Valdir Dias, liderança do coletivo ComunicaGeraizeiro e morador da comunidade de Água Boa II, município de Rio Pardo de Minas. “A atividade nos proporcionou entender mais sobre a importância da comunicação enquanto ferramenta de divulgação das lutas das comunidades tradicionais e de visibilização de suas culturas, artes e tradições, que precisam ser valorizadas”, concluiu.